main-header

Qualidade do solo paulista, pandemia e desafios no Dia do Calcário

São Paulo festejará o Dia Nacional do Calcário Agrícola focando em desafios. A qualidade dos solos utilizados para plantio e rebanhos paulistas terá maior foco, em razão da pandemia – que deve gerar novos protocolos sanitários.

Ao mesmo tempo, a data comemorativa, em 24 de maio, aponta para desafios específicos da região. Um deles é ampliar o consumo paulista do calcário, perto dos 5,3 milhões de toneladas.

A ameaça trazida pela erosão de quase 20% das áreas cultivadas no estado, dados do governo paulista, também será encarada, ao lado da troca de culturas tradicionais, como cana-de-açúcar e laranja, por soja, por exemplo.

Em 2018, São Paulo consumiu 4,9 milhões de toneladas de calcário. O salto de 8% na aplicação requer um olhar mais técnico, segundo o presidente do Sindicato das Indústrias de Calcário e Derivados para Uso Agrícola do Estado de São Paulo (Sindical), João Bellato Júnior.

“A correção de solo é mais empregada pelos grandes produtores. Necessitamos de apoio das autoridades para que essa tecnologia chegue ao pequeno agricultor”, avalia Bellato.

A associação nacional das indústrias de calcário, a Abracal, também focará no produtor rural. Um vídeo cita as vantagens da calagem, que é a técnica de correção da acidez do solo utilizando calcário. “De modo geral, o país e o estado de São Paulo teriam que consumir pelo menos o dobro”, estima Bellato, que também preside a Abracal.

Pilar da agricultura

Os resultados viriam no crescimento da produtividade sem exigir novas áreas cultivadas. Nos período pós-pandemia, essa exigência será maior. Hoje, o agronegócio paulista ajuda na alimentação dos paulistas e brasileiros e na exportação das commodities.

“O calcário é o pilar da agricultura, seja ela convencional ou orgânica”, avalia o engenheiro agrônomo Estêvão Bittencourt Granjo, empresário na região de Piracicaba (SP). “A construção da fertilidade do solo é fundamental”, avalia Granjo.

A cadeia como um todo sairia beneficiada, lembra Bellato. “A rentabilidade do negócio é fundamental para o agricultor e para o pecuarista. Propriedades são empresas, e o principal capital dessa empresa é o solo”, diz o dirigente do Sindical.

Veja aqui o vídeo de divulgação da data.

 
 
 

Importância da Calagem

Cartilha - Metodologia Oficial de Análises de Corretivos de Acidez

Boletim Calcário 2017

Busca rápida

Login

Entrevista - Canal Rural

Espaço do Agricultor

YoutubeTwitterFacebook