main-header

Trabalhadores nas indústrias de calcário terão reajuste de 8,5%

A Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) para os trabalhadores das indústrias de calcário agrícola do Estado de São Paulo foi definida. O reajuste salarial será de 8,5%, que representa o INPC integral do período.

As negociações envolveram o Sindicato das Indústrias de Calcário e Derivados para Uso Agrícola do Estado de São Paulo (Sindical) e a Federação dos Trabalhadores nas Indústrias Extrativas e sindicatos que representam a categoria profissional.

A CCT vigora no período de 1º de novembro de 2016 a 31 de outubro de 2017. “Avalio que o acordo foi bom para todos. Buscamos negociar, tendo em vista o momento econômico vivido pelo país. Ao mesmo tempo, a política de valorização dos nossos colaboradores foi considerada”, disse João Bellato Júnior, presidente do Sindical.

Pelo acordo, o piso normativo vai a R$ 1.221,00, ou R$ 5,55 por hora. Já a Participação nos Lucros ou Resultados (PLR) será de R$ 1.300,00, pagos em duas parcelas em junho e outubro do próximo ano. A cesta básica tem valor de R$ 250,00.

Os trabalhadores admitidos após 15 de novembro do ano passado receberão o reajuste de forma proporcional à entrada na empresa, de acordo com tabela definida nas negociações. As demais cláusulas e condições da CCT constarão de cópia da íntegra da CCT, que será distribuída em breve aos associados do Sindical.


Importância da Calagem

Cartilha - Metodologia Oficial de Análises de Corretivos de Acidez

Boletim Calcário 2017

Busca rápida

Login

Entrevista - Canal Rural

Espaço do Agricultor

YoutubeTwitterFacebook