main-header

Sindical atua para volta da CFEM menor sobre calcário agrícola

cfem-sindical-1Um grupo de entidades empresariais está se mobilizando depois que a Presidência da República vetou trechos do anexo do Projeto de Lei 13.540, aprovado pelo Congresso Nacional no ano passado, que incluía o calcário agrícola como insumo que incidiria a CFEM na alíquota de 0,2%.

Com o veto, o calcário agrícola terá CFEM na faixa de 2%. O insumo é necessário para a correção da acidez do solo, problema que acontece em quase todo o território nacional e que acaba afetando a produtividade das lavouras.

A mobilização também envolverá dirigentes das empresas do setor.

Agro: Fiesp mostra espaço para alta no uso de insumos

laranja-matéria02O agronegócio brasileiro, responsável em grande parte pela retomada econômica brasileira em 2017, continuará como um dos protagonistas no cenário internacional. Um dos focos do segmento será ampliar a produtividade no país. Para isso, estratégias como o incremento no emprego de insumos, dentre eles o calcário, devem ganhar força.

A conclusão é do "Outlook Fiesp 2027 – Projeções para o Agronegócio Brasileiro", estudo elaborado pelo Departamento do Agronegócio (Deagro) da Fiesp. O estudo reúne as projeções do setor para 2027 em itens como produção, produtividade, área plantada, consumo doméstico e exportações.

"O calcário terá papel importante para confirmarmos esse cenário. A aplicação do corretivo ajuda a ampliar os resultados para os produtores, sem alterar significativamente a área plantada", disse o presidente do Sindicato das Indústrias de Calcário e Derivados para Uso Agrícola do Estado de São Paulo (Sindical), João Bellato Júnior. O Sindical integra o Deagro.

RenovaBio deve ampliar uso de calcário no Estado de SP

renovabio-DSC 0063A aprovação pelo Senado Federal do projeto que cria a Política Nacional de Biocombustíveis (RenovaBio) vai melhorar a qualidade do ar nas cidades brasileiras. O projeto teve aval dos senadores na semana passada.

Ao mesmo tempo, a prática deve impactar a cadeia produtiva do agronegócio paulista. Um dos itens é a ampliação do uso de calcário agrícola. A previsão é do presidente do Sindical, João Bellato Júnior.

O calcário ajuda na correção da acidez dos solos, uma característica das áreas tropicais. Com o pH mais equilibrado, a produtividade agrícola aumenta sem a necessidade de novas áreas plantadas.

Consumo de calcário em SP aponta espaço para maior produtividade

DSC 0083calO consumo de calcário agrícola no estado de São Paulo deve repetir, em 2017, o total utilizado no ano passado. Os números devem ser fechados em breve pelo Sindicato das Indústrias de Calcário e Derivados para Uso Agrícola do Estado de São Paulo (Sindical).

A repetição do resultado aponta que há espaço para a agricultura paulista ampliar a produção sem ter que buscar novas áreas para plantio. Isso porque a aplicação do calcário, no processo denominado calagem, ampliaria a produtividade do agronegócio paulista, além da rentabilidade dos empresários.

Nova convenção coletiva define salários dos trabalhadores

dinheiro 1-2-3O Sindical chegou a um acordo com a Federação dos Trabalhadores nas Indústrias Extrativas e demais sindicatos que representam os trabalhadores no segmento. A nova Convenção Coletiva de Trabalho vigorará no período de 1º de novembro de 2017 a 31 de outubro de 2018.

O reajuste salarial será de 3%. O piso normativo a partir de 1º de novembro último passa a ser de R$ 1.258,00, ou R$ 5,72 por hora. O acordo prevê que a Participação nos Lucros ou Resultados (PLR) será de R$ 1.340,00, a serem pagos em duas parcelas, nos dias 14 de junho e 31 de outubro do próximo ano.

Cartilha - Metodologia Oficial de Análises de Corretivos de Acidez

Boletim Calcário 2017

Busca rápida

Login

Entrevista - Canal Rural

Importância da Calagem

Espaço do Agricultor

YoutubeTwitterFacebook